TV

LCD, LED, OLED, QLED e MicroLED: qual a diferença?

admin_philco

Publicado em 07.21.2022

Para quem não é da área, é muito difícil saber o que significam essas letrinhas. As Smart TVs possuem diferentes configurações de funcionalidades e telas que podem ser de LCD, LED, OLED, QLED e MicroLED. Cada um desses tipos de tela tem características diferentes e trarão resultados diferentes para a sua casa.

Para que você entenda as diferenças entre modelos de tela, suas vantagens e desvantagens para acertar na hora da compra. Claro, você deve lembrar que maior qualidade de tela implica diretamente em preço mais alto. Cada um desses tipos de display funciona de forma diferente e hoje você vai aprender o básico sobre cada um deles.

LCD

LCD é a sigla em inglês para Liquid Crystal Display, que ficou conhecida no Brasil como “Cristal Líquido”. Seu funcionamento, de maneira simples, é através de pequenos cristais em seu interior que são controlados eletricamente entre duas lâminas transparentes (que servem como filtros polarizadores).

Essa painel de cristais de líquidos recebe iluminação por trás (chamado backlight) por uma lâmpada fluorescente. Essa luz branca que vem da traseira da TV ilumina as cálulas de cores primárias (verde, vermelho e azul, que recebem o nome de RGB) e criam a imagem que você vê.

Esse tipo de tela tem basicamente dois problemas: variação de cores e tons de preto. O primeiro problema é causado pela falta de capacidade do LCD de reproduzir um grande espectro de cores. O segundo por quê o cristal precisaria bloquear toda a luz emitida pelo backlight para gerar um tom de preto real, ficando sempre num tom mais próximo do cinza. Esses problemas na geração das cores também acarretam em distorções de cor caso você não esteja exatamente na frente da TV.

LED

LED é a sigla em inglês para Light Emitting Diode, que é um diodo, ou semicondutor, que emite luz. Nesse sentido, telas de LED são telas de LCD com iluminação traseira (backlight) que utiliza diodos como emissores de luz.
A principal vantagem envolvida nesse tipo de funcionamento é o menor consumo de energia em relação ao LCD tradicional, citado acima. Além disso, por não ser uma única fonte de luz e sim uma série de emissores de luz, o LCD é iluminado de separadamente, com definição maior de cores e contraste.
TVs de LCD utilizam lâmpadas fluorescentes frias para iluminar o fundo do painel, enquanto as lâmpadas de LED utiliza uma série de diodos emissores de luz menores e muito masi eficientes para iluminar o painel.

OLED

De maneira simples, OLED (em inglês Organic Light Emitting Diode) é a evolução do LED, pois é um diodo orgânico que altera boa parte do sistema de funcionamento do aparelho de TV.

Por conta desse novo tipo de tecnologia, a iluminação traseira não é geral, como no sistema de backlight e sim iluminação individual para seus pixels. Nesse sistema eles se acendem quando uma corrente elétrica passa por eles. Ou seja, eles tem emissão de luz própria sem a necessidade de uma luz traseira.

Suas principais vantagens são cores muito mais vivas, vibrantes e contraste melhorado. Isso acontece por quê cada pixel é iluminado individualmente, para gerar tons de preto, basta desligar a iluminação, que garante “pretos mais pretos” e economia de energia. Esse sistema de iluminação sem painel de luz traseiro, faz com que as TVs OLED sejam mais finas e até mesmo flexíveis.

QLED

O QLED, ou QD-LED, é a sigla para Quantum Dot – Light Emitting Diodes. Essa tecnologia é mais um aprimoramento do LCD, assim como o LED e OLED. A diferença entre as TVs QLED para as de OLED está no tamanho dos semicondutores que ativam os pixels. O termo “quantum” tem ligação com quântico, que faz referência ao tamanho. No QLED os diodos não ultrapassam um nanômetro de diâmetro.
As principais vantagens do QLED estão relacionadas a evolução, ou melhoria, do que as OLED já fazem. Elas tem tons de preto mais precisos e consumo de energia ainda menor. Além disso, a definição e contraste das cores também foi otimizada em relação a seus antecessores. Outro fator importante é que esse tipo de display é imune ao “efeito burn-in” que é um desgaste dos diodos que iluminam uma determinada área, que geram “um fantasma” quando você troca de canal após permanecer muito tempo em um canal com logo fixa.

MicroLED

A última das tecnologias de TV que está para chegar ao mercado de telas promete ser revolucionária. A MicroLED, ou mLED, reúne milhões de LEDs microscópicos emitem luz própria. Em relação ao LCD, ele é muito mais econômico e tem contraste sem igual. Além disso, essa nova tecnologia tem mais brilho, menor perda de luminosidade e vida útil maior que as OLED. Por ser feito de uma camada inorgânica, diferente dos diodos “clássicos” de LED, ela dura muito mais.
Por mais que essa tecnologia tenha sido apresentada em 2018, os custos de produção dela impedem que ela chegue ao mercado rapidamente. Ela é o futuro das Telas, pois une o que há de melhor no OLED e LCD, criando uma imagem com cores mais vivas, reais e que tem maior durabilidade.

E aí, ainda ficou com alguma dúvida sobre essas tecnologias? Pergunte pra gente nos comentários. E fique ligado no nosso blog para mais novidades sobre tecnologia, curiosidades e muito mais!

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.